sábado, 27 de dezembro de 2014

Tem dia...




Tem dia...
Que não tem "ao leite" que adoce
O amargo das minhas velhas mágoas.

Tem dia...
Que chove com sol, e o sol se esconde
Na nuvem dos meus pensamentos nublados.

Tem dia...
Que o quarto não tem janela,
A casa não tem porta, e eu não tenho chão.

Tem dia...
Torto, de ponta cabeça, que aponta pro lado,
Me vira e me joga de canto.

Tem dia...
Que a rima não sai, os sonhos não vêm,
Tem dia que é melhor dormir.

Tem dia que é hoje, amanhã e ontem,
Que repete a rotina engessada de não ir muito além.
Tem dia que eu deixo de ser...

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Rima boba da saudade



Eu escrevi pra dizer,
Que me faz falta você.
Na sua cama deitar,
O nosso sono conjunto,
As nossas pernas enroscar,
E nossos pés se esfregando.

Eu só queria informar...
Que escrevi pra avisar,
Que me faz falta você...
Pra acordar do meu lado,
Pra te dizer que te amo,
E nossa vida embalar.

Eu escrevi pra falar...
Que é no seu cheiro que eu acho,
A minha paz pra sonhar,
Que seu retorno eu espero...
Onde você não está, só sobra o espaço
Que sua saudade toma.

domingo, 21 de dezembro de 2014

Saudade cantada...




Escrevi versinhos de saudades tão rimados,
Que não sei como citá-los sem cantar...
Cantarolei, para te contar em versos,
Que a saudade embala a escrita,
E a escrita embala a saudade,
Que pula para todo lado
Querendo desembalar.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Tristeza...





Se todo mundo é meio triste, 
Eu ando com metades de egoísmo junto a tristeza.
Queria te contar porque, não sei dizer...

É uma tristeza assim sozinha, 
Felicidade a gente espalha, pula da gente, 
Para quem quiser pegar... 
Mas minha tristeza... é egoísta!

Queria chegar e dizer: - Oi, estou tão triste...
Mas me parece ilógico compartilhar algo tão triste.
E se você me perguntar o porque?
Será que há tempo para responder?

Melhor perguntar se sobra tempo antes do "oi".
Apesar de me sobrar tristeza,
Sou contra o desperdício de sentimentos...

E ultimamente essa tristeza é o que tenho,
Não é de grande valia, eu sei...
De qualquer forma é minha! Minha tristeza...

Eu já tentei jogar para fora,
Eu já tentei calar dentro,
Eu já não sei como conter.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Tempos



Saudades que voltam, 
Amores que não.
Resíduos do ontem,
E a sorte de um amanhã.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Sentindo vazio...




Eu queria poder explicar o que sinto,
É uma tristeza escondida, até mesmo de mim,
E sem motivos...

Às vezes eu queria escondê-la melhor,
Não sentir, não lembrar, permanentemente
Da falta de sentido que volta a fazer sentido,
Sentindo tudo que não sei dizer...

Vago no fundo da minha falta de compreensão.
Gostaria de entender o vazio, apenas sinto...
E eu queria saber explicar.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Sem compostura...



Foda-se meus medos!
E essas metáforas cheias de razão,
Que não me canso de repetir.

Só quero acreditar no meu conto...
Só quero espatifar no chão,
Se for por ter me jogado demais.

Sem compostura!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Discordância...




E por pensar demais sofro,
Comigo e com todo resto...

De repente aquele desconhecido fez sentido ao dizer...
"Você é muito questionadora, isso é ótimo, e é péssimo"

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Sem papel...



Quem quiser entrar que entre...
A casa é toda minha,
É cheia de infiltrações,
Cai letra pra todo lado.

Confusa, bagunça 
Que não se acaba.
É cheia de poesia,
E cheia de amor pra dar.

Na minha versão sem papel.