sexta-feira, 13 de março de 2015

Perdida




Tudo fica próximo do distante em um instante,
Tudo eufórico e triste, misto que me agride...
Tudo muda e eu me movo, presa a lugar nenhum,
Medo da rapidez, solta em pedaços de certezas inventadas.

Me apego no pessimismo, no otimismo,
Me apego no que me serve de homeopatia.
Receito minhas doses, me finjo de medicada,
E sigo caminhos tortos na reta tão racional,
No meio do emocional, eu tento me fazer de sã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário